Alias – #11 Cantada ou Assédio?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Bem vindos a mais um episódio do Alias! A equipe do Alias com Fabiana Murray, Gabriela Luz e Karoline Oliveira, sentaram para debater a diferença gritante entre cantada e assédio.
Você, mulher, acha normal passar na rua e ouvir um “fiu, fiu”? E você, homem, acha que essa é uma reação normal sua e de seus semelhantes? Vem ouvir o episódio e olhar através da opinião feminina.

Tema: Feminismo

Tempo: 00:51:35

Nosso Feed: Alias 

Padrinhos:
Agatha Gonçalves
Olavo Montenegro
Vanei Anderson
Pensador Louco
Willian Lopes

 

Participantes: Fabiana Murray, Karoline Oliveira, Gabriela Luz
Editor: Senhor A
Arte da Vitrine: Danilo Pastor
Pauta: Karoline Oliveira

 

Contatos e Redes Sociais:

Email: aliascneg@gmail.com

Twitter: AliasCNEG

Página: AliasCNEG

Twitter Episódio: @fabianamurray  @mjonirr @gnferreira

Fanfics do Portal: Redenção da Karol e A Mulher do Meu Destino da Gabi

Redes Sociais CNEG: Telegram do Cultura Nerd e Geek

 

Fabiana Murray

Uma obra faraônica em construção. Host do Alias, Aspirante a escritora, Cinéfila, Seriaholic, Humanas com Miçanga, Netflix sempre aberto nas séries, fã das mulheres mais empoderadas da telinha e das telonas e claro, sempre no mundo da lua!

  • Fabiana Murray

    Obrigada pelo comentário. E sim com certeza já passou. O Silvio acho que era só de abster dessas galhofas e o bonde continuaria numa boa. Mais uma vez obrigada!

  • Darley Santos

    Assédio é sempre uma coisa repugnante! No caso das mulheres, piora o fato disso ter sido naturalizado a ponto de as próprias mulheres internalizarem isso e achar natural também… Hoje os tempos mudaram, e as mulheres não aceitam mais ser tratadas como objeto ou um pedaço de carne bípede ambulante. Gente, mas se parar pra pensar, é ridículo mesmo neh?! Como esperar que uma mulher aceite ficar com você simplesmente chamando ela de “gostosa” na rua??? É uma versão verbal do primitivismo dos homens das cavernas, que segundo o imaginário puxavam suas escolhas sexuais pelos cabelos e arrastavam-nas até os fundos da caverna…