Castlevania (série da Netflix) – resenha

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Salve, salve, seres humanos e vampiros da terra.
Já faz um tempinho que foi anunciado que a Netflx faria uma série animada inspirada na franquia de games Castlevania, mais especificamente no Castlevania 3, Dracula’s Curse. Eu falo disso nesse post aqui.

Pois bem. A série estreou nesse começo de julho, e agora é hora de dar meu pitaco sobre ela.

Castlevania – resenha

castlevania

 

A série tem 4 episódios de 22 minutos, com roteiro do Warren Ellis (Planetary, Trasmetropolitan).

A sinopse é a seguinte:

A vampire hunter fights to save a besieged city from an army of otherworldly creatures controlled by Dracula.

Traduzindo:

Um caçador de vampiros luta para salvar uma cidade sitiada por um exército de criaturas sobrenaturais controladas por Dracula.

 

A história é a seguinte. Acontece uma parada logo no primeiro episódio que deixa o Dracula puto da vida. Ele da um ano para o povo de uma cidade sair de lá, mas eles não saem. Um ano depois ele reaparece e regaça a cidade toda.

Trevor Belmont, o último filho clã Belmont, um antigo clã de caçadores de monstros que foi excomungado, perambula pela Wallachia e acaba chegando na cidade de Gresit, a tal cidade citiada pelos monstros do Dracula. Nessa cidade tem uma disputa entre a galera da Igreja e os Speakers, que são uma espécie de ordem antiga responsável por preservar a tradição oral. Trevor começa a se envolver nessa treta e daí para frente é spoiler.

 

 

O que eu achei disso? O grande medo que a gente sempre tem quando se fala de adaptações, especialmente nas de jogos, é a fidelidade do cenário e dos elementos do jogo. Essa animação, de cara, já me agradou simplesmente por respeitar o lore da franquia.

Os personagens parecem estereotipados em alguns momentos, mas olhando com calma eu diria que eles são mais como arquetípicos. O herói relutante. O velho sábio. O bispo louco. Estão todos lá. Não tem nenhum personagem que te surpreenda de fato, mas são personagens que você reconhece com facilidade. Lembrando que a série é inspirada em um jogo de nintendinho. Ninguém é muito profundo.

 


O traço é bem bom e a animação é muito legal em alguns momentos, mas tem problemas seríssimos em alguns momentos. Parece que a equipe caprichou muito em alguns momentos, como na luta final, mas não teve esse capricho todos em vários momentos.

A legenda em português tem problemas, não sei se eles vão consertar com o tempo, mas tem. Preciso dizer.

No geral é uma série legal, especialmente por ser curta, respeita a obra, tem um bom roteiro e entrega o que promete. O Dracula está monstruosamente poderoso, o que é incrível. Recomendo.

 

 

Então é isso. Baita desenho legal. Gostei.
E aí? Te convenci? Já assistiu? Discorda de mim?
Deixe aí sua opinião nos comentários.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.

post publicado originalmente por mim em Lugar Nenhum

vulto

"Depois de mim sou eu."