Conversa Nerd e Geek – 62 – Decepções com Filmes

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Na conversa dessa semana, Douglas Luis, Vulto (Observador Quântico), Eduardo Filhote (Machinecast) e Leo Oliveira (Fermata) falam sobre os filmes que causaram dolorosas decepções. Aquele filme que tinha tudo para dar certo. Aquele filme do qual todo mundo fala bem. Aquele filme que parecia ser incrível. Mas que no fim das contas se revelam experiências mais dolorosas do que um golpe de barra de ferro no joelho. Final cagado. Trilha zoada. Cena de Ação sem nenhum sentido. Chatice infinita. Ou qualquer uma dessas coisas. Pegue seu fone de ouvido e venha sofrer com a gente.

Tempo do Episódio: 1:06:14

Tema: Filmes

Padrinhos:
Agatha Gonçalves
Olavo Montenegro
Vanei Anderson
Pensador Louco
Willian Lopes
Padrim Divulgação

Douglas Luis

Fundador do Hordas Trôpegas e do Portal Cultura Nerd e Geek, RPGista, escritor, programador e muitas outras coisas que podem ser abreviadas com NERD!

  • O Hobbit é infinitamente melhor que o Senhor dos Anéis pra quem, como eu, não leu a obra. Ele tem mais ação, é menos piegas, é muito melhor em termos de tecnologia pela distância do tempo. Enfim… filme da hora.
    O Drácula de Bram Stoker é decepcionante inclusive como livro. Eu não vi o filme, mas se ele é fiel ao livro, o que parece ser, ele realmente começa no castelo, fala da Mina com o Jonathan e tem um final extremamente broxante. É por isso que os filmes não se fiam no livro, realmente há um motivo.
    Já Star Wars VII, diria eu que é o melhor Star Wars já feito. Por vários motivos. Star Wars era a história do Anakin e o Lucas não via motivos pra continuar. Embora seja uma continuação, é um reboot e pegaram tudo o que era clássico no Star Wars pra quem não viu, não lembrava e etc e reapresentou. Só pra lembrar: Star Wars é um filme feito para crianças e pré-adolescentes comprarem brinquedos (assim como o He-Man).
    Minha maior decepção com filmes foi realmente o Matrix 2, que me fez tão infeliz que eu nunca vi o 3 e concordo com o Leo que as irmãs Wachowski não me agradam, com exceção do roteiro que adaptaram pra V de Vingança. De resto…
    Eu me decepcionei um pouco com A Chegada. Muito se falou desse filme, mas os clichês de militares burros, chineses mais ainda me incomodaram demais. Eu sei que clichê ajuda a te deixar mais confortável e tal, mas esse lance de militares 100% ignorantes é muito irritante. Me fez pensar no segundo pior filme que já vi no cinema, Avatar.
    O primeiro foi Tentáculos (1998) que foi o mais próximo de sair da sala de cinema que já tive.

    • Cortamos relações! COMO ASSIM VOCÊ NÃO GOSTA DE SENHOR DOS ANÉIS? kkkkkkkkk Obrigado pelo comentário Leandro e vai dizer que se fosse todo no castelo o filme/livro não iria ser aterrorizante pra cacete?

      • não disse que não gostava do Sr. dos Anéis. Ele é Fantástico. Mas assim como em quase tudo, a experiência nele trouxe coisas muito bem vindas ao Hobbit. Acho ele melhor fluído.
        Do Drácula, o terror é bastante sutil. A idéia no livro é que o Jonathan é perseguido por um Drácula obcecado. Dizem que a idéia do Bram Stoker pro livro era retratar uma paixão não correspondida (ele era gay numa época que isto era crime gravíssimo).

  • Darley Santos

    What’s wrong with you guys?! De todos os filmes falados, curti todos (com exceção de “Kubo and the two strings”, “Guardians”, os quais não cheguei assistir), pois todos realizaram a contento a expectativa que me causaram! Ei, deixem o Nicolas Cage em paz!

    PS.: já que o Dudu recomendou o filme “Enjaulada”, tomo a liberdade de citar “O Homem nas Trevas” (Don’t Breathe) – que frescor de novidade trouxe para o gênero de terror esse filme, muito bom!.

    • Grande Darley! 😀 Decepção é relativo, eu entendo. E como diria o grande Mateus Mantoan: “Todo mundo tem o direito de estar errado”… uhahauahuahuhauhah. Mas não escapa não, manda pra gente ai quais as suas decepções… Obrigado pelo comentário, um grande abraço.

      • Darley Santos

        o: Lembrei que tô pensando em fazer maratona lá do “A vida, universo e tudo mais”…