Conversa Nerd e Geek – 42 – Como ser um Desenvolvedor

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Na conversa dessa semana, Douglas Quadros, Vulto, e Ana Eliza Bastos, abrem seus corações e revelam todos(ou quase), os segredos de ser um desenvolvedor. Descubra os segredos, as angustias, e a quantidade de café que toma um menino da inter.. digo programador. Saiba por que o JAVA é tão amado, pegue seu headset, abra seu Notepad++, ou Sublime, e curta este “programa”.

Tempo do Episódio: 1:19:13

Tema: Como ser Um

Padrinhos:
– Willian Lopes
– Agatha Gonçalves
– Ruti Goulart
– Olavo Montenegro

 

Podcast divulgado(spot): Averiguei o Mistério

Padrim Divulgação

Links Comentados no Episódio:

Os Comentadores

PodProgramar

Compre os jogos da série:

NÃO ESQUECE DO NOSSO PADRIM

Redes Sociais:
Telegram do Cultura Nerd e Geek

Página Oficial do Cultura Nerd e Geek

Twitter Cultura Nerd e Geek

Google Plus Cultura Nerd e Geek

Instagram Cultura Nerd e Geek

Perfil do Marvin no Facebook

Grupo Cultura Nerd e Geek

Grupo de Trocas Cultura Nerd e Geek

Canal Youtube Cultura Nerd e Geek TV

Parceiros:

– Canal Tragicomedia

– Canal Leo Oliveira Bass

– Curta o Hordas Trôpegas

– Siga nosso editor o Senhor A no Twitter

– Curta a Página do Sr.A no Facebook

– Feed do Podcast do Senhor A


E-mails: Mande suas críticas, elogios, sugestões e erros para culturanerdegeek@gmail.com

Arquivo MP3 (clique com o botão direito e depois salvar link como, renomeie. E bom episódio!)


Participantes: Douglas Luis de Quadros, Willian Vulto em 22/11/2016

Convidados: Ana Eliza Bastos

Edição: Senhor_A_

Senhor A - Alexandre Gomes

Autodidata em edição de podcast, adepto de softwares livres,(Linux e Audacity). "A utilização de softwares livres não diferencia em nada dos softwares pagos no produto final." Senhor A

  • Darley Santos

    Conheci melhor o ponto de vista de quem trabalha nessa área haha. Quando li isso “a quantidade de café que toma um menino da inter.. digo programador”, lembrei daqui do serviço, o pessoal de quando em quando tá falando, “ih, deu problema aqui, chama o ‘minino’ da internet”. O cara já vem meio velhaco, cobram o tempo todo do coitado, e ás vezes são probleminhas simples que as pessoas transformam num monstro de sete cabeças!

  • SaymonPires

    Que choradeira KKK.
    Para quem já sabe criar seus sites ai com html, js, css e mysql, vá pra as frameworks laravel e angularjs, e estude mongodb. e por que não nodejs para projetos com alto nivel de perfomace

    • nodejs é delicinha de mais

  • Pétrus Davi

    Olá pessoal do conversa nerd e geek, tudo bem com vocês? Olha eu de novo aqui 🙂 #VaiTerFlood

    Sobre o episódio, acho que programação, apesar de para mim ser um bicho de sete cabeças, não pode ser tão difícil quanto a maioria dos programadores que conheço fazem parecer. É como foi dito no episódio, sabendo a base da matemática e da lógica, você tem tudo o que precisa para mexer na maioria das linguagens.

    Pessoalmente tenho interesse em aprender, apesar de não ser o foco da minha área, que é gestão, é sempre bom para o profissional poder ter uma conversa com alguem especializado na área sem parecer um idiota e as vezes até vindo com ideias e sugestões que as vezes o especialista não pensou.

    A falta de profissionalismo do programador que não faz café foi demais vulto hahahaha. Mesmo eu que só tomo açaí sei fazer um café decente para as minha noites jogando ou estudando sobre banco de dados, que é a área que pretendo me especializar.

    Eu tive nesse semestre que passou um professor de modelagem de dados, que passou muitos anos programando vários sistemas, nem quero imaginar como era ter que programar na década de 90 e início dos anos 2000, quando a internet, pelo menos aqui no brasil ainda estava engatinhando. De qualquer forma, bom episódio, e abraços pessoal! 🙂

    PS: Porque não procuram alguem para fazer um episódio de como ser um economista?

    • Muito simples. É por quê …
      Acho melhor guardar pra mim o que eu acho dos economistas

  • O que disse o pintinho caipira?
    “Perl perl”