Crônicas de Myríade: Línguas de Fogo, por Karen Soarele – resenha

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Salve, salve, seres humanos ou pistiros de Myríade.

Hoje eu vou fazer algo que eu não faço muito, mas faço de vez em quando que é review de livros. Hoje eu quero falar do livro Línguas de Fogo, o primeiro da série Crônicas de Myríade, da escritora brasileira e amiga, Karen Soarele.

linguas-de-fogo-capa1

 

A história conta a história de Aisling e Dharon, dois jovens que nasceram em Solace, uma vilazinha na planície central no meio de Vulcannus, o reino dos controladores de fogo. Vulcannus é apenas um dos reinos do continente de Myríade, assim como o reino de Hynneldor.

A história começa quando uma Salamandra, um monstro de fogo, ataca a vila de Solace e após a batalha Dharon acaba ferido. Aisling, então, é impelida a fazer uma longa viagem para outro reino à procura de uma cura para seu amigo.

Em meio a aquela confusão, Aisling finalmente percebeu o motivo do desespero: uma criatura desconhecida estava destruindo o vilarejo. Negra como a noite e grande como um leão, possuía uma longa cauda e se movia sobre as quatro patas, sorrateira pelos telhados das casas, aterrorizando e ferindo os aldeões.

É uma história de ação e aventura em um mundo fantástico, cheio de política e magia.

Bom, essa é a sinopse. Vamos falar do que eu achei de fato.

O que eu achei? O primeiro ponto a comentar é que é um livro para um público mais jovem. Eu já sou velho e preciso ter em mente, quando pego o livro para ler, que é para um público mais young adult.

A história é simples. Tem um conflito, um problema para ser resolvido e um caminho a ser seguido e ela flui muito bem. Deixando claro que simples não quer dizer ruim. É um roteiro completamente competente e funcional sem deixar de ser leve.

…- Não temos dinheiro, também não temos tempo. Precisamos ir nesse barco, e só nesse…

 

Quase todos personagens são muito carismáticos e interessantes. É bem fácil de acreditar que eles existam enquanto pessoas. A Marian é incrível, a Aisling é um amor e até a Kendra é interessante como grande vilã do mal.

As cenas de ação são bem legais e na bem descritas, as vezes bem demais.

O chão tremia a cada investida do Furioso contra a porta. Cinco guardas se postavam em pé ao lado de Marian, de frente para o portão interno, lanças na mão, prontos para estocar.

O que mais me agradou foi a mudança do ponto de vista da Aisling a respeito dos outros povos de fora de Vulcannus. É claro, pelo menos para mim, que existe em Vulcannus um processo de demonização dos outros povos, e isso é interessante por ser totalmente verossímil e até comum no nosso mundo.

Essa questão a relação entranha entre Vulcannus e Hynneldor me agradaram bastante.

Alguns diziam que o exército de Vulcannus tinha decidido derrubar a rainha de Hynneldor de uma vez por todas, outros diziam que Kendra havia se levantado contra a coroa.
Cada um parecia ter criado sua própria teoria.

Eu achei o final meio broxante, mas é preciso lembrar que esse é só o começo de uma saga maior, então é aceitável. É um final broxante assim como o final de A Sociedade do Anel é.

Acho que isso é tudo que eu posso falar sem dar muito spoiler do livro.

Tudo aquilo tinha acontecido tão rápido que Aisling mal podia entender.

Concluindo: Línguas de Fogo é um livro super competente que entrega o que promete e até mais. É uma leitura leve e gostosa que vai rolando e quando você vai ver já acabou te deixando com um monte de dúvidas.

Quero saber mais sobre os outros reinos e a relação entre eles. Quero saber mais sobre a capital de Vulcannus e sobre a relação entre os Pistiros e o resto do povo. Existem outras raças além dessas duas? Existem magos de Terra e de Água? Existem outras criaturas como o Roux? Quem é Ricochete? Todas essas dúvidas deixam claro que o mundo de Myríade ainda tem muito a mostrar. Isso é muito legal.

Enfim: Um excelente livro, especialmente para o público mais jovem. Super recomendo.

Na estrada caminho, a brisa no rosto,
a pele queimada, com sede e suor.
Porém nunca ligo, ainda ajunto:
Sou rico porque voltarei
Aos cinco cantos do mundo!

Veja também a resenha do Douglas Quadros em vídeo no Sem Frescura aqui no canal do portal

Os livros de Crônicas de Myríade estão à venda no site da série e também na Amazon (A versão digital é só R$2, não tem desculpa).

Conheça a autora Karen Soarele no site pessoal dela e/ou ouça ela dando dicas de escrita no Conversa Nerd e Geek (parte1 e parte2).

É isso. Gostei bastante do livro.
E você? Se interessou pela resenha?
Já leu o livro?
Deixe aí seu comentário.
Um abraço.
E tchal

post publicado originalmente por mim em Lugar Nenhum

vulto

"Depois de mim sou eu."

  • Darley Santos

    Uma crítica enxuta, concisa e atenciosa! E a menina Karen manda bem mesmo!