Ergo

Ergo #010 – Withers/King/Fogerty

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Neste episódio Leandro Pereira demonstra o formato original planejado no Ergo, quando ele ainda se chamava 3 músicas. Este episódio aborta 3 grandes clássicos, sendo eles Lean on Me (Bill Withers), Carole King (Where You Lead) e Fortunate Son (Creedence Clearwater Revival).

 

Tema: 3 Músicas

Tempo do Episódio: 00:30:37


Padrinhos: 

  • Agatha Gonçalves
  • Olavo Montenegro
  • Vanei Anderson
  • Pensador Louco
  • Willian Lopes
  • Julian Catino
  • Dario Fukichima
  • Lohan Bentemuller
  • Gharcya


Contato

Mande suas críticas, elogios e sugestões para:

Feeds:


Participantes:

Apresentador: Leandro Pereira

Roteirista: Leandro Pereira

Edição: Berg’s

Arte da Vitrine: Léo Oliveira

Logotipo: Rafael Ramalli

Categorias
Ergo
  • JULIAN CATINO

    Adorei o episódio! Nunca tinha prestado atenção na letra de ‘Fortunate Son’, achei que era uma queixa genérica a não ter dinheiro, e era algo muito mais profundo.

    Carole King é sempre uma satisfação ouvir (e essa música ouvi claro pelo seriado “Gilmore Girls” que minha filha e esposa confabulavam de assistir sempre), porém me impressionou a estória do Bill Withers, que não conhecia. É um retrato duro e frio de sua época, das relações de um povo submetido e injustiçado como é o afro-americano.

    Ele tem uma música não muito alegre mas muito potente que a minha esposa gosta muito e que com certeza você Leandro conhece. Sim, estou falando de “Ain’t no sunshine”. Também é uma música simples e que toca muito.

    Creedence tem uma música que adoro ouvir que é “Born on a bayou”, o bayou seria essa região baixa, como é aqui o pantanal, mas que forma o rio Mississipi na altura de Louisiana. Eu sinto que é uma homenagem a esses locais mas nunca fui atrás do seu significado, se você souber gostaria de ouvir sua análise.

    Uma outra observação sobre Creedence é que, para colocar um contraponto, os outros integrantes da banda alegavam que John sim trazia as letras mas que a música era resultado da interação do grupo, e brigaram vários anos pelo nome da banda e pela autoria das canções, quase como um Pink Floyd do folk americano.

    Um grande abraço e obrigado ! Você pode continuar nesse formato “3 músicas” o quanto quiser. Para mim funcionou e vou seguir você até o fim 🙂

  • Tá vendo o que eu digo? Isto sim é um podcast musical em sua total excelência!

    Um episódio como este, que foi igualmente informativo, documental, cultural e inspirador, isso sem mencionar as faixas escolhidas, não poderia ser menor que perfeito. É por iso que estou grudado ouvindo cada novo lançamento. E espero que este ano, e todos os que vierem depois, sejam uma expansão ainda maior deste trabalho incrível que é o Ergo.

    Abração. 8)

    • Você sabe que todo texto que você faz é lido na minha cabeça com a sua voz né?

      Fico sem graça com o elogio, ainda mais vindo de você. Significa muito mesmo pra mim.

      Muito obrigado e um grande abraço!

  • Darley Santos

    Esse formato é igualmente interessante! É um tri-esforço que pode não ter a mesma completude de um Ergo normal, mas são três pílulas que engulo sem pensar duas vezes! As duas primeiras músicas me lembraram, imagine o porquê, a canção Bridge Over Troubled Water, de Simon & Garfunkel.

    • Cara, eu diria que o esforço é bem menor. Na redação do episódio eu não preciso achar contexto pra juntar as músicas, abordar os lados de cada uma delas e não tem necessidade de achar músicas de eventos grandiosos. A composição da maioria das músicas acontece de forma corriqueira e nem sempre eu consigo o tempo pra me dedicar às grandes questões. Folgo em saber que gostou, pq me permite voltar nesse formato sempre que necessário!