Fanfics

Fanfic – A mulher do meu destino – 33 — Find another place to feed your greed

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Disseram-me que aqui nessa realidade vocês não têm alguém com minha inteligência para ajudar — começou a ironizar Stark. — É impressão minha ou eles nos conhecem nesse mundo? — perguntou apontando para o público que praticamente uivava.

— Sim, conhecem — Aredhel revirou os olhos. — Mas aqui vocês são apenas personagens de filmes e quadrinhos — olhou ao redor. — Bem, neste caso, os atores que os interpretam no cinema — ergueu os ombros.

— Heróis do cinema? Eu gosto disso — brincou Stark enquanto acenava para a multidão. — Bem melhor que ser herói de verdade…

Ouviram-se mais gritos e aplausos. Definitivamente os Avengers também tinham fãs. Aqueles midgardians eram sem dúvida um bando de idiotas.

— Quem diria que a teoria de realidades alternativas seria real…

Alguns dos presentes trocaram olhares silenciosos.

— Só espero que a minha versão desta Terra não seja um homem gordo ou pobre — Stark deu de ombros.

Foi a vez de Romanoff e Barton revirarem os olhos.

— Thor nos falou que eles possuem uma tal de Infinity Gem, o que é isso? — Banner foi mais objetivo.

— São Joias que possuem poderes especiais. Entre elas estão o Tesseract, o Aether e, agora, essa roxa — explicou Aredhel.

— E qual seria o poder especial dessa em particular? — Stark pareceu se interessar.

— Ainda não temos certeza — quem respondeu foi Aredhel. Nos quadrinhos a roxa é a Joia do espaço. Abre portais. Entretanto pode ser outro poder, afinal nem tudo é igual aos quadrinhos e filmes — ficou pensativa. — Mas qualquer que seja o poder, é perigoso que fique nas mãos dele.

— Quadrinhos? Cinema? O que isso tem a ver? — o Capitão parecia confuso.

— Depois eu explico melhor… — Aredhel coçou a nuca.

— A pequena tem razão — atalhou Thor. — O mais importante no momento é que definitivamente temos que recuperar essa Joia. Independente do que ela faça.

— Hum. Será que haveria outra Joia com o mesmo poder do Tesseract? Se não… Qual será o poder dessa Joia? — indagava pensativamente Stark.

Aredhel deu de ombros. Percebi que eu fizera bem em não revelar que tinha maiores conhecimentos sobre as Gems. Se tivesse explicado o que sabia a Aredhel, ela teria revelado a esse grupinho deprimente. Pude perceber, na expressão de alguns ali, um grande interesse por essa Gem.

— Mas o que esse cara está fazendo aqui? — questionou rispidamente o capitãozinho apontando para mim.

Limitei-me a sorrir cinicamente para ele. Demorou, mas finalmente notaram minha presença.

— Acalme-se — Thor ergueu as mãos. — Apresento a vocês, o novo rei de Asgard — indicou-me com a cabeça. — Loki está mudado. Está aqui para ajudar.

Tive que conter uma gargalhada.

— Rei de Asgard? — indagaram em uníssono o casalzinho Romanoff e Barton.

Os dois me fitavam com se pudessem me matar com o olhar. Eles ainda guardavam mágoas, depois de todas as verdades que lhes revelei? Eles continuavam patéticos.

— Sim. Rei de Asgard — afirmei em meio a um sorriso cínico, todo orgulhoso.

— Mudou? Acho que até sei o motivo da mudança — intrometeu-se Stark olhando para Aredhel.

— E quem são eles? — perguntou a “besta-fera” apontando para Sif, Volstagg e Fandral.

— São guerreiros de Asgard. Meus amigos. Volstagg, Fandral e Sif — apresentou Thor.

— Pois eu não confio em Loki — o Capitão me encarou desconfiado. — Por que ele ajudaria os humanos? Aliás, por que ele viria socorrer esse mundo?

Eu revirei os olhos. Eu não dava a mínima se ele confiava em mim ou não. Na verdade ver a irritação e o medo na cara daquele grupinho estava sendo muito divertido.

— Porque esse é meu mundo, minha realidade. E ele é meu marido — Aredhel disse com firmeza.

Passei a mão por meu rosto. Aredhel tinha que entrar nesse tipo de detalhe? Um monte de bocas se abriu ao mesmo tempo. Apenas Stark não pareceu surpreso.

— Rá! Eu sabia! — exclamou Stark.

— Você casou com uma humana? — Romanoff parecia incrédula.

— Isso é muito irônico — murmurou Barton.

— Vocês dois juntos? — pasmou-se. — Mais um motivo para não acreditarmos nos dois! É um perigo! Ela pode ver o futuro, lembram? Isso tem cheiro de cilada! — comentou meio indignado.

— Eu não posso ver o futuro — Aredhel ergueu a mão. — Eu sabia das coisas porque eram filmes que eu já havia assistido várias vezes.

— Faço minhas as palavras do capitão… Ainda não entendi essa história de filme… — murmurou Barton.

— Depois eu explico melhor a história dos filmes — Aredhel repetiu, angustiada. — Thor também pode contar a vocês melhor sobre isso, ele também já sabe da verdade. Só espero que não surtem, como algumas pessoas — olhou diretamente para mim. Revirei os olhos.

Eles claramente não sabiam sobre os filmes, Thor não deveria ter contado a eles. Nunca havia pensado que talvez não fosse uma boa ideia eles saberem sobre os filmes. Poderiam descobrir coisas importantes, como a situação das Infinity Gems, se os filmes continuassem a serem produzidos. Ou poderia pensar o mesmo que eu, que os filmes representavam uma ameaça. Isso sim poderia ser muito interessante.

Aquela conversa toda estava começando a ficar constrangedora e era pura perda de tempo. Eu me perguntava sobre o que mais falariam a respeito de mim e Aredhel, quando a coisa ficou pior.

— Mas as coisas mudaram muito mesmo — Stark mal escondia o cinismo.

— E eles já me deram até um sobrinho — comentou Thor me dando uma batidinha nas costas.

— Sobrinho? — assustou-se o Capitão.

— Um filhote de rena! Nossa, que perigo pode vir a ser o filho desses dois — ironizou Stark.

Suspirei meio constrangido. Aredhel ficara carmim. Por Odin! Se Aredhel não falaria tudo sobre nossa vida, Thor faria esse favor. Aquilo já estava ficando ridículo!

— Será que vocês poderiam parar de discutir minha vida pessoal? Acredito que temos coisas mais importantes para fazer agora — rosnei.

— Loki tem razão — Thor deu um pigarro —, temos que ajudar as pessoas lá fora e recuperar o Tesseract.

— Eu realmente agradeço a todos por terem vindo ajudar — Aredhel começou toda constrangida. — Sem vocês eu sei que não conseguiríamos. Sejam bem-vindos a “outra Terra” — fez aspas com os dedos.

Todos assentiram com a cabeça.

— Ok. Estamos aqui para ajudar. Não vamos mais perder tempo. Qual seria o plano? — disparou o capitão.

— Atacar? — Stark deu de ombros.

— É melhor nos organizarmos — interferiu Aredhel —, temos que nos separar. Pelo menos um de nós tem que alcançar a Joia e evitar que tragam mais soldados.

— Podemos fazer como fizemos em Nova York — começou o senhor “salve a América”. — Thor, Banner e Stark cuidam das aeronaves inimigas. Natasha, Barton e eu cuidamos dos soldados Chitauri aqui em baixo. Os amigos de Thor também podem nos ajudar em solo.

Pensei “foi assim que derrotaram os Chitauri”. Rangi os dentes.

— E quanto a nós? — perguntei impaciente.

— Você e Aredhel podem usar suas ilusões para tentar alcançar Other e resgatar a Joia. – sugeriu Thor para mim.

A ideia era perfeita. Derrotando Other e me livrando de Thanos a pedra ficaria em meu poder. Só tinha um problema: Thanos era infinitamente mais poderoso que eu e para completar, estava com uma Gem.

— Não sei se é uma boa ideia Aredhel ir. Ela não possui treinamento, superpoderes e nem uma armadura — alertou Romanoff.

Aredhel pigarreou. Eu desviei o olhar. Começaria tudo de novo. As mudanças em nossa vida virariam o principal assunto novamente.

— Agora Aredhel é como Loki e eu — Thor foi direto. — Ela também aprendeu a mesma técnica de ilusões de Loki. Vem sendo treinada por ele.

Novamente bocas se abriram assustadas. Eu já estava ficando impaciente com aquele falatório todo. Tinha mesmo a necessidade de explicar tudo?

— Como assim é como vocês? Ela virou um deus também? — questionou Romanoff.

— Não vem ao caso dar detalhes sobre isso — fui categórico.

— Agora sim essa dupla é um perigo — comentou o arqueiro pateta.

— Um humano pode se tornar um de vocês? Como? — perguntou Banner.

— Eu devia ter imaginado. Isso sim está parecendo roteiro de filme — comentou Stark.

— Gente! — Aredhel ergueu as mãos. — Vamos tentar nos concentrar no que realmente é importante — pediu.

— Certo. Vocês dois vão atrás da Joia — disse o Capitão. — Só espero que esse aí não faça besteiras — olhou em minha direção.

— Eu me responsabilizo pelo dois — empertigou-se Thor.

Ignorei o que o ambos falaram. Eu não me importava com os midgardians, a única coisa que me interessava era recuperar a Gem.

— Agora podemos ir? — perguntou Aredhel meio irritada.

— Vamos precisar do grandalhão, Banner — falou Stark.

O homem se transformou na besta-fera. Ele quase matou de susto as pessoas do local. Confesso que ver aquele monstro me deixou um tanto nervoso.

— Will vá para a casa de nossos pais — Aredhel ordenou ao irmão. — Se as coisas ficaram muito feias ou não conseguirmos controlar a situação peguem Váli e partam para Asgard ou a outra Terra — disse rapidamente com a aflição visível no rosto.

William assentiu e em seguida partiu. Aproximei-me de Aredhel e tentei tranquilizá-la.

— Assim que pegarmos aquela Gem, eles vão parar de chegar. E, além disso, esse grupo já conseguiu ganhar uma vez do mesmo exército — fiz uma careta. — Conseguirá novamente, ainda mais contando com a ajuda dos guerreiros de Asgard.

— Tomara Loki, tomara — murmurou.

Deixamos o prédio. O grupo se espalhou e começaram a agir. Thor foi em direção ao topo do prédio onde ficava o portal. Com o Mjölnir invocou alguns raios atingindo algumas aeronaves Chitauri que saiam do portal. O Stark foi em direção a uma outra aeronave. Os demais começaram a atacar os soldados que estavam espalhados na rua. Aredhel e eu trocamos nossa aparência com uma ilusão e seguimos para o prédio. Achei que era melhor que Other e Thanos não percebessem nossa aproximação.

Aredhel e eu avançamos o mais rápido que podíamos. Mas ainda tínhamos que lutar com os soldados que surgiam no caminho. Ao chegarmos ao prédio desfizemos a ilusão. O prédio encontrava-se com sinais de luta. Havia corpos de midgardians pelo chão, móveis quebrados, papéis e outras coisas espalhadas. Aredhel ficou muito triste com a cena. Vi seus olhos se encherem de lágrimas.

— Vamos Aredhel — toquei seu ombro. — Por esses não podemos fazer nada, mas podemos fazer pelos outros.

— Loki e se… — fez uma pequena pausa. — E se eu for responsável por tudo isso? Deus… Eu não deveria ter entrado naquela luz — murmurou começando a chorar.

Eu a abracei e afaguei seus cabelos.

— Não diga isso — fiz um muxoxo. — Não faça isso com você. Você não é responsável por nada. Other e Thanos são os únicos responsáveis por tudo — rosnei.

Aredhel me olhou ainda com lágrimas nos olhos e deu um suspiro triste.

— Vamos. O tempo está correndo — apressei-a.

Subimos em direção ao terraço do prédio. Ao abrirmos a porta encontramos Other e Thanos. Ambos nos encararam com um sorriso cínico no rosto. Era muito estranho ver Thanos ali, pessoalmente. Aquilo era um mau sinal. Ainda que aquela cena parecesse surreal, senti o ódio crescer dentro de mim.

— Finalmente tenho a chance de conhecer, pessoalmente, a peça principal de meu jogo — olhou na direção de Aredhel. — Minha rainha nesse tabuleiro de xadrez — sorriu.

Aredhel olhou para mim confusa. Eu também não entendia o que Thanos queria dizer com isso. Apenas me perguntava qual era o objetivo dele em trazer Aredhel para minha realidade. O que ele ganharia com isso?

— Fui eu quem a levei para aquele mundo, garota — ele continuou, ainda encarando Aredhel. — Eu tinha planos para você, desde o início.

— Afinal o que você pretendia levando-a para lá? — rosnei para Thanos.

— E você ainda pergunta? — ele deu um sorriso malicioso. — Você sabe que eu venho tentando lhe ajudar desde o início, eu lhe forneci o cetro. Eu a levei porque queria que ela alterasse a história. Que ela lhe ajudasse. E graças a ela, hoje estamos aqui. Uma nova dimensão para dominar — ergueu os braços.

— Loki? — Aredhel olhou na minha direção. — Sobre o que ele está falando? Você sabia disso?

Thanos começou a rir. Percebi que ele queria deixar Aredhel contra mim. Suspirei e encarei-a.

— Eu não sabia de nada. Sei tanto quanto você sobre a sua ida até aquela realidade e sobre essa invasão. Eu não faço ideia do porque ele mandou você para minha realidade. Na verdade, até Other comentar naquele dia, eu nem imaginava que alguém poderia ter lhe enviado de propósito.

Aredhel se virou decidida na direção dele.

— Não sei que história você queria que eu alterasse! — ela sibilou. — Eu jamais ajudaria você! Tudo o que você deseja é causar mortes! E mesmo tentando evitar que Loki fizesse o que fez, mal interferi no que aconteceu, nas batalhas que participei! Se você sabia da minha origem, sabia que eu não tinha poderes para interferir em nada. Afinal, o que você queria que eu conseguisse alterar?

— Não alterou nada? Tem certeza? — Thanos indagou despreocupadamente. — Confesso que esperava que você causasse mais mortes ajudando Loki. Pensei que se juntaria a ele nos planos, que o apoiaria e causaria mais destruição, mas, no final, você acabou fazendo algo melhor! Você é esposa dele agora. Mudou o destino de Asgard. Graças a você, é ele quem ocupa o trono e agora me presenteou com a oportunidade de destruir um novo universo e alcançar meus objetivos sem interferências — explicou com cinismo.

Tudo começava a se encaixar. Thanos oferecia à Morte, sua amada, todas as mortes que causava como um presente. Vir para esta outra realidade aumentava o número de mortos que ele poderia oferecer a ela. Ainda mais em um universo, onde não existiam seres poderosos que pudessem fazer alguma resistência.

— Por que Loki ocupar o trono de Asgard seria importante para você? — indagou Aredhel.

— Porque graças a isso ele poderia me fornecer o que eu tanto preciso. E sem Thor em Asgard, nada e nem ninguém poderia me impedir.

Aredhel me fitou confusa. Limitei-me a balançar a cabeça negativamente para ela.“Não entre no jogo dele, ele quer nos colocar um contra o outro”, pensava desejando que ela pudesse ouvir meus pensamentos.

— O que você quer dizer com isso? — vociferei.

— Você me pergunta? Temos alguns interesses em comum e sabe disso — Thanos riu. — Eu precisava que alguém procurasse as Infinity Gems para mim e só uma mente brilhante como a sua seria capaz de encontrá-las. Foi por esse motivo que lhe entreguei o cetro e lhe enviei à Terra em busca do Tesseract. Em troca eu lhe dei o exército do qual precisaria para dominar aquele planeta minúsculo e insignificante — deu de ombros. — Você ainda me deve. Eu lhe dei o que precisava e agora falta você cumprir com a sua parte. Não tenho culpa de seu fracasso — olhou-me com cinismo. — Eu sei que você andou procurando as Gems. Sei que agora está com o Tesseract e que guarda em Asgard a localização das outras. Other descobriu isso seguindo você em suas buscas pelas Joias. Você estava esperando o momento de juntá-las, não é? E só pode fazer isso agora que é rei. Odin e Thor jamais deixariam você se aproximar delas, saber sobre elas, que dirá juntá-las.

Thanos sabia de tudo o que eu vinha fazendo. Other havia me seguido. Mas aparentemente não sabiam de minha descoberta. Não sabiam sobre a Gem amarela. Aredhel me olhou chocada. Ele havia revelado a ela sobre minha busca e minhas ambições.

— Loki… — murmurou Aredhel com tristeza.

Desviei o olhar. Aredhel já estava muito irritada comigo por causa do diretor e do ator. Agora tinha a história das Gems. Ela estava visivelmente decepcionada comigo.

— Aredhel, eu não… — comecei a falar.

— Até onde irá sua ambição, Loki? — ela me interrompeu. — Quantas mentiras você ainda contará? Por que não me falou que estava procurando as Joias? Por que escondeu isso de mim? — perguntou com tristeza.

Thanos apenas gargalhava da situação. Ele estava conseguindo colocar Aredhel contra mim.

— Eu jamais entregaria as Gems a você, Thanos! — afirmei.

— Eu sei disso — ele desdenhou. — Acha que não sabia que planejava ficar com o Tesseract para si? Estive o tempo inteiro a par do que acontecia. Other o vigiava para mim. Eu jamais confiaria uma Gem a você — foi firme. — Nunca contei com o fato de que você me ajudaria por livre e espontânea vontade. Eu só queria que você localizasse as Gems e confirmasse o paradeiro delas. Agora, tudo o que preciso fazer é ir até Asgard e pegar o Tesseract e as localizações das demais Gems — explicou.

— Eu não vou deixar que você consiga alcançar seus objetivos! — vociferou Aredhel.

— Você? Logo, você? — Thanos soou irônico. — Aredhel, você foi quem mais me ajudou! Você fez mais do que imaginava! — aproximou-se dela. — Você me apresentou esse novo mundo e ainda me fez o favor de trazer todos os que poderiam atrapalhar meus planos para cá! Agora nada e nem ninguém me impedirá de destruir a Terra e outros mundos! — gargalhou.

Então era esse o plano de Thanos. Distrair a todos, trazê-los para esta outra realidade enquanto ele voltaria para Asgard roubar o Tesseract, pegaria a localizações das outras Gems e, por fim, iria a Midgard destruí-la. Eu tinha que agir. Pensei na Gem amarela. Eu poderia criar uma ilusão, uma realidade alternativa. Uma falsa Asgard e Midgard, onde eu teria controle da situação, fazendo-o acreditar que alcançaria os seus objetivos. Mas para isso…

Utilizando-me de uma ilusão, projetei uma imagem minha, enquanto tentava me concentrando para usar o poder da Gem amarela. Eu mal tinha criado a projeção, quando Thanos agarrou Aredhel pelo pescoço e a estendeu para fora da beirada do prédio. Nesse momento Other se colocou em meu caminho e tive que desfazer a ilusão. Trinquei os dentes com raiva.

— Não! — gritei.

— Agora que não preciso mais de você — Thanos disse olhando para Aredhel —, vou garantir que você não venha mais interferir. Vou garantir que você seja a ruína de Loki! — gargalhou e a jogou do prédio.

O tempo parou junto com minha respiração. Avancei furiosamente sobre Other, tirando-o de meu caminho e corri em direção ao parapeito do prédio.

— Aredhel! — gritei desesperado.

Estendi o braço para agarrá-la, mas não consegui alcançar sua mão. Tudo que pude ver era minha esposa caindo sem que eu pudesse fazer algo.

Categorias
FanficsLiteratura

Escritora, nerd e "moça da informática".