Luke Cage (2017) #1 – resenha

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Salve, salve, seres humanos super casca grossa da terra.
Passando mais uma vez para falar de quadrinhos e hoje é dia de falar dele que é um dos primeiros heróis negros, to falando do Luke Cage.

Luke Cage (2017) #1 – resenha

 

Luke Cage

 

A história começa com o Luke Cage tentando resolver um caso. Um bandidão sequestrou uma garota para forçar o namorado dela a pagar uma dívida. O namorado fugiu, a família pede ajuda do Luke, ele vai lá e embolacha todo mundo e salva a garota.

Saindo da casa dos pais da garota, ele recebe uma ligação. O doutor Noah Burstein, o homem que lhe deu seus poderes, está morto. Luke vai ao enterro onde conhece uma moça chamada Dra. Mornay e ela o convida para conhecer algumas pessoas. Pessoas que eram próximas a Noah.

 

 

Luke vai até a casa desses caras. Um cara chamado Cyril Morgan. Eles conversam um pouco e Morgan diz que seu filho, Caleb deve sua vida ao Doutor e ao Luke Cage. Ele diz que Caleb tinha uma doença degenerativa incurável, mas que por conta do Luke Cage, Morgan procurou o Doutor Noah, que conseguiu usar sua pesquisa para regenerar os tecidos do garoto.

Saindo da casa dos caras, Luke e a Dra. Mornay conversam. Ela acredita que o Doutor não se matou. Ela acredita que ele foi assassinado já que sua pesquisa desapareceu. Ela diz pra ele também que o processo do Burstein causa efeitos colaterais cerebrais, o que explica a loucura do Mitchell Tanner (que é um vilão do Luke Cage. O primeiro homem a passar pelo tratamento.). Isso deixa em aberto a possibilidade de que Caleb vire um louco psicopata. E conta que existem outros.

 

 

O carro deles é atacado. Eles são tirados da estrada por uma minivan. Três caras saem da Minivan, Luke vai pra cima deles, mas aparentemente o cara é super forte também. Eles trocam umas porradas até que o cara saca de uma espada-chicote que consegue, de alguma forma, ferir Luke.

Luke cai no chão sangrando e um cara encapuzado chega para salvar. Ele mete bala em todo mundo e salva Cage. Na última página ele se revela como Mitchell Tanner, seu antigo vilão

Fim da Edição

 

 

O que eu achei? Um dos problemas do Luke Cage é que ele é um personagem muito forte e os inimigos dele sempre ficam muito abaixo. Nesse sentido acho que a história começou bem. Tem uma cena de ação para lembrar que ele é fodão. Tem perda. Tem um mistério. Tem conspiração. Vilões realmente poderosos. E uma reviravolta meio safada no final.

Eu gostei bastante. E a arte está bem legal também.

 

 

Roteiro: David F Walker
Arte: Nelson Black II
Cores: Marcio Menyz

Veja também o Luke Cage e Punho de Ferro.

Então é isso. Revistinha bem legal e deve chegar no Brasil em breve. Se você gostou do personagem pela série, taí uma revista boa para começar a ler coisas do Luke Cage.
Deixa aí sua opinião.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.

vulto

"Depois de mim sou eu."