Nerds de Fé!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Existem sim! Existem Nerds que cultivam uma vida de fé! Superficialmente, isso parece uma besteira, mas dada a minha condição de seminarista, eu tenho a oportunidade de conhecer muitos Nerds de Fé.

Como breve relato, digo que em contato com os adolescentes e jovens em ambiente Católico, eu conheço muitos Nerds, sejam do estilo estudioso, gamers, amantes de livros, quadrinhos e filmes, entre tantos outros modos de ser Nerd. Todos estes com vivência da Fé e da Espiritualidade Católica. Conheço também, jovens de outras religiões que também são Nerds.

Por que escrever sobre isso?

Bom, entre todos os Nerds de Fé que conheço, a esmagadora maioria, ressalta um problema comum: como me defender das críticas que recebo por viver minha fé?

Entre as críticas comuns que eles recebem, assim como eu recebo, estão: o desafio de provar e existência de Deus; a crítica a história da Igreja Católica; crítica a postura de certos líderes religiosos, sejam eles padres ou pastores(as); crítica a conduta moral relacionada à religião, entre tantas outras…

Não tenho aqui a pretensão de fazer apologia à vida religiosa, mas gostaria de introduzir um tema que vai ocupar os próximos dois posts: A relação entre Fé e Razão.

Tomo a relação entre Fé e Razão como ponto de partida para este tema, porque percebo que como pressuposto da maioria destas críticas está a dicotomia entre Fé e Razão, ou seja, está e separação da fé e da razão, de modo que se exalte a razão e se deixe a fé como algo secundário, e até ilusório.

Pretendo mostrar com os futuros posts que há sim relação entre fé e razão, assim como há relação entre fé e ciência, fé e conhecimento, fé e moral e ainda que tais relações se dão de maneira bastante integrada no homem, e não externa ao homem…

Enfim, a relação e justificativa cabe aos próximos posts…

Gostaria ainda de ressaltar: o tema pode ser polêmico, se discutido com alguns “irracionais pregadores da razão”.

Eduardo Martins

Seminarista Católico; Acadêmico; Nerd; Jogador e Mestre de RPG. Quando tenho tempo livre, faço mais coisas também!

  • Muito bom Mauricio..

  • Darley Santos

    Está tranquilo, apoio seus posts. Fui educado como católico, recebi todos os sacramentos de iniciação cristã, mas atualmente estou afastado. Enfim, fui criado no ambiente católico e conheço intimamente o quão são injustas muitas das críticas direcionadas à Igreja Católica. Acredito ser bastante pertinente essa intersecção entre religião e o mundo nerd, aliás, entre religião e qualquer coisa. Não sei se foi algum Papa que disse que religião ou Fé sem a Razão cai no obscurantismo, e a Razão sem a fé torna-se idolatria ou um falso absoluto. As pessoas que pertencem ao mundo nerd/geek se veem totalmente imersas nesse mundo, e se elas forem fazer um exame de consciência perceberão que não têm reservado nenhum tempo para Deus ou espaço para a religiosidade, e como completos zumbis vão pulando de atração a atração: o novo filme da Marvel, a nova série da Netflix, o lançamento do mangá X, a exibição dos animes, a feira de games e todos os super lançamentos… tudo isso acaba sugando totalmente o tempo das pessoas (de fato, para acompanhar e se manter atualizado com tudo isso vc acaba dedicando o tempo que não tem!) e deixando-as sem nenhum tempo para Deus, que, olha só, é a única verdadeira Fonte da Vida… Terrível constatar nisso.

    • Eduardo Martins

      Interessante sua reflexão acerca do tempo dedicado às atividades e o tempo dedicado a Deus, pois isto se dá em larga escala… Inclusive na Educação, que não oferece mais o Ensino Religioso.
      Entenda-se que Ensino Religioso não consiste em doutrinação religiosa, mas que ensine a importância das religiões para a vida particular e para os diversos contextos sociais.
      Enfim, é um assunto amplo o qual podemos direcionar para diversos focos.

      Obrigado pelo comentário!

  • Thaineh Souza

    Nosso constante contato com mitologias de diferentes lugares (um tema que eu adoro demaaaais – sou viciadassa em mitologias!), traz um confronto grande quando a cultura judaico-cristã é tida como “mais uma mitologia”.
    De fato, a cultura pop é baseada em mitologias. Marvel, DC, os filmes… A gente pede por universos em que a mitologia bata, seja concisa, faça sentido e não tenha furos (nós, nerds somos chatos com furos!). Colocando todas essas “lendas” dentro de um mesmo saco, assumindo que todas elas são entreterimento e foram criadas em algum momento da sociedade por alguém que queria manipular a cabeça do povo.
    Nos causa, no mínimo, certo desconforto quando alguém usa o termo “mitologia hebraico-cristã”.
    Creio que o fato de a fé cristã ser baseada na razão, é um dos pilares da nossa vida.
    Nós acreditamos! Nós vivemos isso.
    E viver uma fé não anula nossa diversão, pô.
    Amei o texto, parabéns Eduardo 🙂

    • Darley Santos

      Sim… Pra quem acredita, a “mitologia hebraico-cristã”, a mais antiga de todas, passou pelo “crivo da seleção natural” e, deixando para trás todas as mitologias pagãs que simplesmente pereceram, hoje tem no cristianismo a maior religião do planeta! O erro que as pessoas que comparam a cultura hebraico-cristã com os personagens de super heróis (como o Fê Castanhari já fez em um vídeo, tendo que apagar logo depois diante da rejeição do público) cometem é de inversão de causalidade: um personagem bíblico como Cristo Jesus é antes um arquétipo que serve de inspiração para a criação dos super heróis do nosso tempo do que o contrário, que não teria a menor lógica temporal nem base teórica. De toda forma, o contexto bíblico não permite um nivelamento com as mitologias pagãs, que pregam “deuses humanos”, isto é, seres superiores cada qual com características humanas perfeitamente reconhecíveis, um mero reflexo da pisque humana; bem pelo contrário, não há nada na ficção humana já criada que seja parecida com a narrativa bíblica. Os pagãos, em sua razão obscurecida, zombavam do Deus cristão, um “deus crucificado”… dá pra imaginar o absurdo que era para eles, com seus deuses magnânimos, pensar em um deus que “se matou” pela humanidade, sendo crucificado na cruz… Mas é isso, estudo comparado de mitologias é de fato muito interessante.

    • Eduardo Martins

      Este fator da associação com as mitologias é apenas um dos tantos que detonam as religiões…
      Sobretudo pelo fato de se associar mitologia à mentira.
      Mitologia também e uma das minhas paixões, e minha área de pesquisa do meu TCC, então em breve terei conteúdo sobre este assunto também.

      Obrigado pela apreciação!

  • Mauricio Martins

    Sempre me surpreendo pela qualidade, e olha que minhas expectativas sobre ti são sempre altas. Conheço vários irracionais pregadores da razão. Se alguém quiser ver na prática como o cristianismo é racional e logicamente fundamentado, assista os debates de William Lane Craig no youtube. Deixo esse como exemplo: Craig Vs Atkins https://www.youtube.com/watch?v=U6HHDJOD2mA.

    • Thaineh Souza

      CRAIG É MEU DIVO! E esse debate é o melhor EVER <3

    • Eduardo Martins

      Vou precisar dedicar um tempo para “leitura” deste vídeo!
      Muito conteúdo bom!

  • Luiz o Henrique

    Fé e espiritualidade são assuntos complexo demais para minha mente pequena e mundana. Por isso resolvi não ter mais opinião.
    Conheço muitos Nerds de fé, e são lógicos dentro de suas linhas de raciocínio. Coerentes e sobretudo sóbrios.
    No mais é isso aí, excelente texto.