Observador Quântico 8 – A Química da Guerra

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Salve, salve, seres humanos desprezíveis da Terra.

Estamos de volta com mais um episódio venenoso do Observador Quântico, o podcast de ciências do Portal Cultura Nerd e Geek.

Nesse episódio Vulto e Thai contam histórias de como o bom senso e a humanidade foram derrotados pelo desprezo e o horror nos tempos da guerra. Falamos de como a ciência pode ser, e foi, mal utilizada durante as guerras. Falamos da Química utilizada para eliminar pessoas das formas mais eficientemente horrorosas e desumanas. Falamos sobre o mal.

O que é gás mostarda? Como funciona o gás cloro? O que é o sarin? Como essas coisas eram vistas em tempos de Guerra? Por que o ser humano é horrível? Isso e muito mais você vai aprender aqui.

Duração do Episódio: 38:33

Participantes:
Vulto
Thai

Edição:
Leo Oliveira

Capa:
Douglas Luiz

Referências que usamos:

Sobre a Indústria Química
Um pouco sobre armas químicas
Armas Químicas e Biológicas
Trabalho sobre os riscos do uso de armas químicas feito por pesquisadores da Uff

É isso galera. Espero que tenham curtido o podcast. Nos desculpem pela bad vibe.

Contribua para o nosso Padrim:

Padrim Divulgação

Contato:
e-mail:
culturanerdegeek@gmail.com
Siga o Vulto no Twitter.
Siga a Thai no Twitter.
Siga o CNeG no Twitter.
Curta a fanpage no Facebook.
Siga nosso canal no Youtube.
Nos siga no Instagram.
E entre no grupo do Telegram.

Assine o Feed do Observador Quântico

Ouça também os outros podcasts do portal.

É isso galera. Até daqui a 14 dias.
Não deixe de comentar.
Um abraço.
E tchal.

vulto

"Depois de mim sou eu."

  • Darley Santos

    Mais um OB caprichado ^^! Bem que dizem que a tecnologia em si é neutra, a finalidade benéfica ou maléfica depende de quem a usa. Nossa, armas químicas são terríveis, possuem um efeito devastador sobre suas vítimas, além do efeito desmoralizador sobre quem presencia seu poder, como dito no cast. O terrorismo bioquímico é bem presente ainda hoje, principalmente em lugares sem tradição democrática e sem reconhecimento dos Direitos Humanos, ou com um histórico de autoritarismo ou totalitarismo. Por exemplo, a falsa democracia da Rússia, onde pesa a suspeita de que o “czar”, ops, presidente Putin tenha mandado envenenar com polônio um desafeto, ex-espião da KGB, que “ousou” criticar o governo… (http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2016/01/putin-provavelmente-aprovou-envenenamento-de-ex-espiao-russo.html). Ou a Síria de Bashar al-Assad, que usa armas químicas contra sua própria população (http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/08/regime-de-assad-e-ei-usaram-armas-quimicas-na-siria-diz-onu.html). Em países democráticos coisas erradas podem acontecer, ao largo da lei, mas em países autoritários ou ditatoriais a força é a lei, e o terror, seu instrumento! Dentro de uma escala de violência, o uso de armas químicas é considerado inadmissível.

  • Mega Mendigo

    Episódio maneiro, apesar do tema mostrar mais um campo de cagadas que a humanidade desenvolveu(ou nesse caso aperfeiçoou).

    E sobre qualquer tipo de substância matar(apesar de não ser arma química)…