Papo de Autor #5: Financiamento coletivo de livros

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Escreveu um livro? Quer publicar? Não tem um tostão furado? Você não está sozinho! Nesse episódio, explicamos o que é financiamento coletivo e como você pode utilizá-lo para lançar seu livro. Então dê o play (no áudio acima ou no vídeo abaixo) e vamos escutar! 😀

 

Financiamento coletivo: O que é e como utilizá-lo

Todo autor iniciante sonha com a publicação de seu livro por uma grande editora. Porém — como já falamos no episódio dois, “Como publicar um livro” — ser recebido em uma delas logo no início da carreira é praticamente impossível. Mas isso não significa que você vá desistir! É hora de arregaçar as mangas e transformar, você mesmo, o seu sonho em realidade.

Já falamos sobre tipos de publicação: por editora comercial, por editora patrocinada e como autor independente. Em todos estes casos, haverá alguém investindo uma grande soma de dinheiro na publicação: ou será uma editora, ou será você mesmo. Não me venha com história de “preciso de uma editora para publicar de graça”, que essa é a pergunta mais amadora que alguém pode fazer. Entenda como o mercado funciona, para evitar constrangimento. A verdade é: publicar requer dinheiro (de alguém).

“Mas eu tenho certeza de que meu livro será um sucesso!”

É bom ouvir isso! Se o seu livro tem potencial, se as pessoas estarão dispostas a comprá-lo, você já tem meio caminho andado. Agora, basta colocá-lo no mundo. E é para isso que o financiamento coletivo serve: para conectar você, autor, às pessoas que querem ler o que você escreve. Funciona como uma pré-venda. Eles pagam primeiro, você recebe o dinheiro que precisa para publicar o livro, e eles recebem quando estiver pronto.

Uma ideia genial, mas que só funciona quando é bem aplicada.

Nesse episódio do Papo de Autor, convidei dois escritores que já utilizaram o método de financiamento coletivo para viabilizar suas publicações. Escute o que eles têm a dizer. São dicas que só quem já passou pelo processo é capaz de dar. E lembre-se de comentar o que achou do episódio! 🙂

 

Dados do episódio:

Duração: 01:05:25

Edição: Ítalo Queiroz

Como ouvir: Você pode dar o play no player lá no topo da página, pode ouvir pelo YouTube ou pode clicar com o botão direito aqui e salvar o episódio no seu computador.

Grupo do Papo de Autor no Facebook: Clique aqui e participe!

 

Links dos autores:

Karen Soarele, autora da série Crônicas de Myríade, de Halifax, no Canadá
FacebookInstagramTwitterCatarseSiteLivros físicosE-books

Kamile Girão, autora de Fisheye, falando de Fortaleza/CE
Catarse | Blog | Chá mate com limãoFanpageInstagramFisheye físicoOutubro e-book

Claudio Villa, autor de O Vento Norte, falando de São Paulo/SP
CatarseO Vento Norte físico | Fanpage

 

Links citados no episódio:

Marina Avila: Catarse
Marina Avila: Portfolio
Dwar7s, jogo de tabuleiro do marido da Karen
Cortabundas, HQ de Talles Rodrigues, ed. Draco
Polêmica: o caso da Hamburgueria Zebeléo

 

Comentários lidos do grupo:

Luigi Lunewalker, autor de Drink Escarlate
Luan Sawada, autor de Crônicas Tupi
Santos Abakour Darl

 

Sobre o Papo de Autor

Gosta de escrever? Sonha em publicar um livro? Ou será que você quer descobrir como seu autor preferido criou aquela história incrível que mudou a sua vida? Se você é apaixonado por livros, seja como autor ou como leitor, está no lugar certo. No Papo de Autor, Karen Soarele e seus ilustres convidados falam sobre seu processo de escrita, contam suas experiências no mercado editorial e dão dicas para quem está começando.

Os episódios saem todo terceiro sábado do mês. Acompanhe o podcast e embarque nessa aventura na busca pelos segredos e mistérios do processo criativo e de publicação!

 

Karen Soarele

Autora da Série Crônicas de Myríade, com quatro livros publicados. Jornalista esportiva nas horas não-vagas, uma brasileira morando no Canadá.

  • Darley Santos

    O financiamento coletivo é uma baita ferramenta, desde que bem usada! Sem uma grande editora para te auxiliar, você mesmo vende seu peixe, como num mercado livre, mas num esquema diferenciado em que as pessoas (ou potenciais apoiadores) devem apostar em seu futuro produto, realmente como numa pré-venda! É possível imaginar o nível de relação entre autor e leitor, acho que é um nível mais intimista! É lindo quando dá certo e a meta é atingida, é muito amor!

    • O único problema é que algumas pessoas não entendem como fazer funcionar. Colocam o projeto de qualquer jeito e deixam lá, como se o dinheiro fosse brotar sozinho. 🙁
      Financiamento coletivo é trabalho! Muito trabalho! haha… Mas vale a pena.

      • Darley Santos

        Verdade Sra. Karen!