The Crown Netflix

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Não sei o que dizer sobre essa série da Netflix. É totalmente diferente de todas séries britânicas que eu assisti. É delicada, ao mesmo tempo honesta e crua.

Mas antes de reclamar que há spoilers, por favor é quase um documentário sobre a ascensão da Rainha Elizabeth ao poder e seu reinado. Então não dá para reclamar né? É história que tem no Wikipédia.

Eu adoro séries britânicas não sei se pelo sobrenome, ou pela preguiça dos fatídicos 24 episódios das séries americanas que me cansam, ou a fascinação pela coroa britânica, ou pela atmosfera das séries que fazem lá. Só sei que para mim, as melhores séries que espero e anseio por novas temporadas são essas. Sim eu sei, eu sou de trouxas. Esperar uma série britânica retornar é igual a paciência da mulher de Ulisses, Sherlock que o diga! Mas vamos aos fatos.

A série começa com a cidadania de Phillip como britânico, já que de nascimento ele era dinamarquês e o casamento da princesa que hoje é rainha com o duque que é o príncipe consorte.

Nesse meio todo mostra-se a ascensão do Winston Churchill ao poder como primeiro-ministro após 5 anos fora.

O piloto mostra a agonia do Rei George descobrindo que está com câncer, a preocupação de Elizabeth para o trono, o Rei chamando o príncipe Phillip para a real situação e nos prepara para as turbulências que Elizabeth vai sofrer quando rainha. O pouco tempo que ela tem com os filhos é bem notável e a carências deles pelos pais é bem retratada.

Não sei falar de aspectos técnicos, mas como uma série de época essa questão é muito bem tratada e toda as cenas na Inglaterra são bem cinzas, pois há comparação a uma viagem à praia que é bem ensolarada, mas todas as cenas em que o rei aparece tem uma carga mais cinza na cena. As coisas são cinzas, tapete cinza, tudo é mais cinza menos a sua mesa real. Ela tem muitos aspectos em vermelho e isso me chamou muito a atenção.

Como é a série mais cara da Netflix é impecável, maravilhosa!

 

Fabiana Murray

Uma obra faraônica em construção. Feminista, Host do Alias e do Pílulas de Beleza, Aspirante a escritora, Cinéfila, Seriaholic, Humanas com Miçanga, Netflix sempre aberto nas séries, fã das mulheres mais empoderadas da telinha e das telonas e claro, sempre no mundo da lua!