A Vida o Universo e Tudo Mais #3 – Animais

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Saudações nerds! Aqui quem fala é o Douglas Quadros, e coincidentemente hoje é dia 31, mas lembre-se que neste ano vou estar por aqui sempre no ultimo dia do mês! Hoje vou falar sobre mais uma das minhas paixões, os animais.

Como disse no primeiro post, nasci no Rio Grande do Sul, mais especificamente em Porto Alegre. Mas nunca morei na capital gaúcha, morava em uma cidade próxima que se chama Gravataí. Porem, não morávamos no centro da cidade (que é enorme diga-se de passagem), e sim em um sítio.

Meu pai (se você ouve o Conversa Nerd e Geek deve saber), sempre teve aquelas casas de jogos, as famosas Locadoras de Vídeo Game. Como era perto da minha escola, todo dia eu ia com ele para o local pela manhã e aproveitava para ir à escola a tarde. Portanto nos dias de semana o dia-a-dia era: Ir para a locadora, jogar até o meio dia, ir para a escola, voltar para a locadora, jogar o resto da tarde e voltar para casa. Por ser um grande centro urbano, eu tinha poucos amigos. Nos finais de semana, porém, como era um sitio muito grande, e a casa mais próxima ficava a quilômetros. E eu não tinha amigos para brincar, ao menos não amigos humanos.

Meus pais sempre tiveram cachorros, e quando foram morar no sítio obrigaram-se a ter mais ainda. Lembro-me de uma época que chegamos a ter 10 cães. Meu pai comprava um daqueles sacos de 25 kg de ração por semana mais ou menos. Tinham cães de todas as raças, desde Pinscher até Rottweilers, inclusive tenho que alertar que se você acha que raça define comportamento, você está errado. Eu com 8 anos tirava ossos da boca da Rottweiler.

Por isso, além de nerd, sou um apaixonado por animais por isso! Desde pequeno fui criado com lobos e meu nome é Mogli cachorros, brincar com eles às vezes era o ponto alto das minhas tardes. Eles pegavam gravetos/bolas, corríamos juntos, brincávamos de “lutinha”, cabo de guerra então nem se fala. Independente do lugar onde eu estivesse eles estavam sempre junto comigo. E nunca fiquei doente por causa de levar uma lambida ou por eles “morderem” carinhosamente o meu braço. Pra quem acha nojenta a baba do cão ou até mesmo seu pelo que: sim, tem um odor próprio, saiba que água e sabão resolvem o problema. E um adendo, se o seu cão fede é porque você não deve dar uma ração de qualidade para ele.

Nunca tive problemas com cães, talvez seja por isso que acho estranho as pessoas terem medo dos mesmos. Ele só querem ser respeitados, assim como nós, afinal de contas você não sai por ai fazendo carinho na cabeça de pessoas desconhecidas ou entrando na casa delas sem convite. Espero que não. E se um cão realmente é bravo, você pode ter 100% de certeza que a culpa é de seu dono. Já conheci pessoas que davam pimenta para os cães ficarem bravos e “protegerem” o pátio. Preciso nem dizer o que acho deste tipo de “pessoa”.

Atualmente tenho 4 cães, 3 gatos e 1 hamster. As pessoas me criticam dizendo que gasto muito dinheiro com os animais, ou pior ainda: “Não acredito que você vai deixar de morar num apartamento, para morar em uma casa por causa de bicho. Bicho se dá um jeito!”. Parece que é difícil de entender que quando você realmente gosta de alguém, este alguém sê torna da família, independente da espécie. Fiz e ainda faço muitos sacrifícios pelos meus animais. E farei muitos outros se for necessário. Pensando melhor, animais não, Membros da Família!

Em breve contarei pra vocês quando começou este meu amor por gatos. Hoje quis dar uma ênfase a esta primeira parte da minha vida, que foi rodeada de cachorros. Espero que vocês tenham gostado, e talvez tenha mudado a opinião de vocês sobre como tratá-los. Afinal de contas a única coisa que eles precisam é de uma oportunidade pra demonstrar todo amor que podem dar!

Douglas Luis

Fundador do Hordas Trôpegas e do Portal Cultura Nerd e Geek, RPGista, escritor, programador e muitas outras coisas que podem ser abreviadas com NERD!